Procurando por aqueles livros cheios de reviravoltas que você não consegue prever? Então veja essa lista e descubra os melhores livros de suspense psicológico.

Descubra os Melhores livros de suspense psicológico que vão não vai conseguir adivinhar o final!

Oi, o meu nome é a Alyssa e eu leio todos os suspenses psicológicos possíveis na esperança de encontrar algum livro com uma trama melhor do que Garota Exemplar. 

Essa é basicamente a biografia do meu Instagram dedicado a leitura – @aly.reads – e resume em grande parte a minha vida como leitora. Apesar de eu adorar diversos gêneros literários, como infantojuvenil e livros sobre viagens, suspenses são os meus livros favoritos, especialmente porque eu sempre tenho a esperança de me surpreender com as reviravoltas que estão por vir.

Eu gosto tanto dessa categoria, que contando as minhas leituras no Skoob, percebi que nos últimos anos eu li mais de quarenta livros desse tipo. Desde títulos super populares como A Paciente Silenciosa, até outros mais desconhecidos que ainda nem foram traduzidos para o português, eu leio praticamente tudo que me recomendam em busca de um bom plot twist. 

Pensando nisso, agora que o blog aborda outros assuntos além de viagem, resolvi escrever esse post com a lista dos melhores livros de suspense psicológico que li até hoje. Tenho certeza que não sou a única pessoa que ama esse gênero, e se você é como eu, provavelmente está sempre em busca de uma nova recomendação.

Já aviso que esse post será atualizado sempre que eu encontrar um outro livro legal, então já salva nos favoritos e lembra de dar uma lida de vez em quando. :) 

Melhores livros de Suspense Psicológico que vão te deixar pensando até a última página

Como eu já falei acima, eu não tenho como não indicar Garota Exemplar, já que apesar de ser super conhecido e um pouco antigo, ele é meu favorito da vida. Se você ainda não leu o livro (ou viu o filme), recomendo parar o que você está fazendo e comprar o seu exemplar agora, já que até mesmo as razões que eu listo para amar esse livro podem ser consideradas um spoiler.

De resto, tentei falar ao máximo possível a razão pelo qual gostei dos livros sem revelar nada da história.

Apesar de ser mais antigo, Garota Exemplar ainda é o meu suspense favorito! Veja essa e outras indicações de livros de suspense psicológico nesse post!

Sinopse: No dia do seu quinto aniversário de casamento, Nick Dunne volta do trabalho e encontra sua casa vazia, sem nem sinal de sua mulher, Amy. Ao reportar seu desaparecimento, porém, tudo leva a crer que Nick é o culpado pelo sumiço (ou seria assassinato?) da esposa. Enquanto tenta limpar seu nome com a polícia, Nick também segue o caça ao tesouro criado por Amy para comemorar o aniversário do casal. 

Porque eu amo: Eu tenho muito clara a razão pela qual considero Garota Exemplar o melhor suspense psicológico que li até hoje, e na verdade é bem simples: a protagonista, de maneira geral, é a personagem mais inteligente da história. Se tem algo que me irrita profundamente nesse gênero é que a maioria dos livros até tem mulheres como personagem principal, porém elas nunca percebem que tem algo errado até as últimas trinta páginas, e passam o livro inteiro bêbadas sem entender nada. Garota Exemplar é totalmente o contrário, com a Amy ficando muitos passos a frente do Nick durante toda a trama. 

O plot twist é sensacional, e eu lembro que não acreditei enquanto estava lendo. Além disso, o final também é surpreendente, e até mesmo quem torce para a Amy vai ter dificuldade de entender seus sentimentos em relação à história ao chegar nas últimas páginas. Também quero apontar que a parte da “garota legal“, onde a Amy relata como mulheres mudam seu comportamento para se adequar aos homens, e que eles não as suportam quando descobrem que elas são bem mais complexas do que as “garotas legais” que elas estão fingindo ser, é uma das melhores descrições que já li, aparecendo até mesmo no filme.

Eu gosto tanto dessa história que sempre brinco com a minha mãe que se um dia eu perder a memória, esse é o primeiro livro que quero reler para poder me surpreender com as reviravoltas novamente.

Sinopse: Amber Patterson está cansada de não ter tudo que é seu por direito – um marido rico, uma mansão, viagens exóticas e tudo de luxuoso que a vida tem a oferecer. Para resolver esse problema, ela resolve conquistar Jackson Parrish, figura do ramo imobiliário que pode transformar sua vida em um conto de fadas. O problema? Jackson já tem uma esposa, Daphne, mas ela não será a atual Sra. Parrish por muito tempo se depender de Amber.

Porque eu amo: Nos primeiros capítulos, nós acompanhamos a história se desenrolando do ponto de vista da Amber. Isso me fez gostar demais da protagonista, pois apesar dela ser terrível, era claro que ela estava no controle da situação, em vez de ser só outra mulher tonta típica do gênero. Ao mesmo tempo, eu me irritava um pouco com o quanto a Daphne não percebia nada do que estava acontecendo, deixando o plano da Amber acontecer bem de baixo do seu nariz.

A reviravolta, porém, é que depois de um tempo a história retorna ao início, porém sendo narrada do ponto de vista da Daphne, o que nos faz repensar tudo que já aconteceu até aquele ponto. Depois de um tempo, os capítulos de cada uma vão se intercalando, e é aí que percebemos que a história não é nada do que imaginamos. Fiquei completamente surpresa com as reviravoltas, não imaginei o final e achei um dos melhores que li até agora.

Eu escolhi ler A Outra Sra. Parrish pois foi uma recomendação do clube do livro da Reese Witherspoon, e depois descobri que na verdade o livro foi escrito por duas autoras, cada uma escrevendo o ponto de vista de uma das protagonistas. Em 2019 elas lançaram outro livro, A Última Testemunha, que honestamente foi bom mas não o suficiente para ser considerado um dos melhores livros de suspense psicológico que já li.

House sitting é uma ótima maneira de economizar dinheiro. Mas e quando os outros house sitters começam a desaparecer? Conheça Lock Every Door e outros livros de suspense psicológico nesse post!
Sinopse: Ao perder o emprego e o namorado, com quem dividia o apartamento, Jules Larsen se vê em um beco sem saída, sendo obrigada a dormir no sofá da melhor amiga. Sua sorte muda quando ela consegue o emprego de house sitter em um dos edifícios mais misteriosos de Manhattan, o Bartholomew, onde ela é paga para cuidar de um apartamento até que ele seja colocado a venda. Ao fazer amizade com os outros house sitters, no entanto, Jules descobre que as coisas não são como parecem ser, e precisa descobrir o que está acontecendo antes que seja tarde demais. 

Porque eu amo: Eu nunca tinha ouvido falar do autor, e honestamente não dava nada por esse livro, achei que ia ser só outro suspense bobinho. A protagonista não parece ser muito inteligente, e as decisões que a levaram a virar house sitter já fazem com que o leitor desconfie um pouco sobre a sua inteligência. Para minha grande surpresa, no entanto, assim que as coisas começam a parecer estranhas ela faz inúmeras perguntas e tenta encontrar respostas para o que está acontecendo, AMÉM.

Pela sinopse eu achei que esse livro poderia cair na categoria “paranormal“, algo que eu detesto pois prefiro suspenses cujas histórias podem realmente acontecer. Fico feliz de reportar que o desfecho não tem nada de fantasmas ou demônios, e ainda melhor, ele é completamente imprevisível. Eu jamais, nunca mesmo, teria conseguido adivinhar o que estava acontecendo no Bartholomew, a verdade para mim foi totalmente inesperada de uma maneira que esse livro conseguiu entrar no meu top de melhores suspenses psicológicos. Além disso, o final não foi corrido e foi coerente com o resto da história, algo que essa categoria de livros também deixar a desejar de vez em quando.

Lock Every Door ainda não tem tradução para português, mas outro livro famoso do autor, A Última Mentira que Contei, já está disponível no Brasil. Também já tenho no meu Kindle e é um dos próximos da minha listinha (e pode deixar que atualizo o que eu achei assim que ler).

Atualização: Desde que escrevi esse post, já li Home Before Dark e A Última Mentira que Contei e achei esse último o melhor dos dois, porém Lock Every Door ainda é meu favorito do autor. 

Sinopse: Apesar de não falar com Clare desde a escola, Nora é convidada para a despedida de solteira da ex-amiga, a qual acontecerá durante um final de semana em uma mansão em local remoto. Durante o evento, no entanto, as atitudes de alguns dos convidados começam a incomodar a protagonista e, diante de um crime terrível, ela precisa descobrir o que é verdade e o que são apenas falsas impressões.  

Alguém está se casando. Alguém está sendo assassinado. Descubra essa história incrível e outros livros de suspense nesse post!

Porque eu amo: Eu não achei essa história a mais emocionante entre livros do gênero que já li. A protagonista, apesar de não ser das piores – ela é, afinal, uma escritora de romances policiais – não conseguiu ver que algo está errado até quase ser tarde demais, e o desfecho não foi nada de outro mundo. Esse livro está no topo da minha lista, no entanto, porque a trama é tão envolvente que eu cheguei a ficar angustiada e com medo do que iria acontecer. 

Como é possível imaginar pelo título, grande parte da história se passa em um local afastado e às vezes durante a noite, e a maneira com que a autora descreve as situações me fez sentir como se fosse eu que estivesse correndo pelo bosque tentando me salvar. Cheguei a parar de ler em alguns momentos de tão nervosa que fiquei. Um livro que provoca tamanha reação, mesmo com uma história não tão impressionante, certamente merece a indicação.

Eu já li todos os livros publicados pela Ruth Ware e, apesar de Em um Bosque Muito Escuro ser bom, recomendo ainda mais a leitura The Death of Mrs. Westaway. A trama é mais original, e o nervosismo criado pela autora também está presente, porém o livro ainda não foi traduzido para português, razão para eu ter escolhido outro título para essa lista.  

O que você faria se acordasse um dia e descobrisse que seu marido é um serial killer? Descubra essa história e outros livros de suspense psicológico nesse post!

Sinopse: Gina Royal é uma mulher comum, com marido, filhos e uma vida pacata. Tudo isso muda, no entanto, quando um carro perde o controle e invade sua garagem, revelando o corpo de uma jovem e trazendo a luz que seu marido – Melvin Royal – é na verdade um serial killer. Gina foge com seus filhos, muda seu nome e começa a vida em uma Stillhouse Lake, mas logo descobre que vigilantes da internet e outros perigos não ficaram para trás.

Porque eu amo: Honestamente, eu não consigo pensar em algo que eu não goste nesse livro. A Gina começa sem nenhuma ideia do que o marido está fazendo, mas rapidamente se transforma em uma mulher independente, que tenta proteger os filhos a qualquer custo. Achei extremamente realista ela fazer aulas para aprender a disparar armas de fogo, e ter uma rotina de checar na internet para ver se qualquer fanático conseguiu descobrir onde ela e os filhos estão vivendo. Interessantíssimo ver um outro lado das histórias de assassinos em série, já que normalmente o foco é neles e seus crimes, e não em quem eles deixaram para trás.

Stillhouse Lake na verdade é uma saga, são diversos livros e até agora eu só li os dois primeiros, onde a história é centrada na Gina/Gwen e seu ex-marido. Eu nunca li outros livros da autora, mas posso dizer que nas minhas duas leituras achei a história tão envolvente que não consegui parar, ambas as vezes desisti do meu dia e li da manhã até a madrugada para terminar a história, sem conseguir parar. As reviravoltas são boas e sempre fazem você se perguntar “E AGORA????“.

Sinopse: No auge da maior crise de sua carreira, o jornalista Mikael Blomkvist se vê obrigado a se afastar da sua revista, e é contratado pelo excêntrico milionário Henrik Vanger para investigar o desaparecimento de sua neta, Harriet. Usando suas habilidades investigativas, e com a ajuda de Lisbeth Salander, uma hacker com ótima memória, Mikael tenta desvendar o mistério de o que aconteceu com Harriet, lutando contra o resto da família da garota que tenta fazer com que o jornalista não seja bem-sucedido em sua empreitada.

Porque eu amo: Eu acho que a trilogia Millennium só não está em mais listas de melhores livros de suspense psicológico porque as descrições são um pouco mais violentas do que o normal nesse gênero (apesar de que outro dia li um Karin Slaughter que as descrições eram extremamente pesadas também). Fora isso, as reviravoltas são surpreendentes, bem construídas e apesar de ser uma saga, você não sente que alguns detalhes foram acrescentados só para “tapar buraco” ou para aumentar o número de páginas. Millennium sem dúvidas merece mais reconhecimento, e até mesmo o filme com o Daniel Craig como Mikael Blomkvist é excelente.

Apesar de ser uma trilogia, na verdade são três escritos pelo autor e outros três escritos por outra pessoa. Até agora eu só li os dois primeiros livros, Os Homens que não Amavam as Mulheres e A Menina que Brincava com o Fogo, mas nos dois as tramas foram bem estruturadas, e eu me perguntei o que ia acontecer até praticamente o último capítulo. A relação entre os protagonistas também é super interessante, e ao mesmo tempo que você se envolve com a história do livro atual, também se pergunta o que vai acontecer entre eles. Já tenho o último livro, A Rainha do Castelo de Ar, no meu Kindle mas não quero que a trilogia original acabe por isso estou aguardando para ler, rs.

Sinopse: Madeline e Celeste são amigas de longa data, e agora seus filhos estão para começar a pré-escola juntos. No primeiro dia, elas conhecem Jane, cujo filho também está matriculado na mesma turma, e começam assim uma amizade com a jovem mãe. O que elas não imaginavam é que a história de Jane e seu filho não é tão simples assim, e a aproximação entre as mulheres e seus filhos muda a vida de todos de uma forma que elas jamais poderiam imaginar. 

Porque eu amo: Esse foi o primeiro livro da autora que li, e considero até hoje que foi o melhor. Os capítulos contando a história são alternados com as entrevistas feitas pela polícia depois do “acidente“, então você já começa a ler sabendo que aconteceu alguma coisa, mas não tem certeza do que ou com quem. Não considero que esse livro tenha a tensão característica de suspenses psicológicos, mas a forma com que ele foi escrito faz com que seja impossível parar de ler até que você descobrir o que aconteceu.

Li antes de ser transformado em série pela HBO e preciso dizer que, apesar de ser maravilhoso, a série não deixa nada a desejar, com atuações espetaculares (especialmente da Nicole Kidman), e se você já assistiu não vai ter nenhuma grande surpresa com o livro. A autora tem outros livros no mesmo estilo, como O Segredo do meu Marido, mas o melhor depois de Pequenas Grandes Mentiras, para mim, é Nove Desconhecidos.

Minha opinião sobre outros livros...

Se você lê suspenses psicológicos com frequência, pode ter se surpreendido com a falta de alguns títulos famosos nessa lista. Não é que eu não acho que eles são ruins ou não merecem a leitura, mas é que para mim eles simplesmente não se comparam com os que mencionei acima. De qualquer jeito, aqui vai a minha opinião sobre alguns desses livros:

  • A Paciente Silenciosa, Alex Michaelides – Não é ruim, inclusive não consegui largar e li em dois dias. Porém achei o protagonista insuportável (mas entendo que algumas pessoas acham a Amy de Garota Exemplar horrível também, isso é muito pessoal), e não achei a reviravolta tão surpreendente ou original. Foi bom, mas falaram tanto sobre que a expectativa não correspondeu à realidade.
  • A Mulher na Janela, A. J. Finn e A Garota no Trem, Paula Hawkins – Eu coloco esses dois livros juntos porque mal consigo distinguir a história entre eles. Nos dois casos as protagonistas são alcoólatras, não entendem nada do que está acontecendo ao redor, se deixam levar por homens abusivos e são desacreditadas pela polícia quando tentam pedir ajuda. Para mim o déjà-vu foi tão grande que eu senti que A Mulher na Janela foi praticamente uma releitura.
  • O Homem de Giz, C. J. Tudor – Minha única experiência com a autora até agora e achei que deixou muito a desejar, o desenrolar da trama não foi emocionante e o desfecho parece ter durado apenas uma página. Final muito rápido e senti que deixou a história incompleta.
  • A mulher entre nós, Greer Hendricks – Bom também, porém apesar de não adivinhar qual era a reviravolta, achei que a forma com que ela foi exposta foi muito sem graça. Se tivesse sido escrito de uma maneira um pouco mais emocionante poderia até ter entrado na lista de melhores livros de suspenses psicológicos.
  • Um de Nós Está Mentindo, Karen McManus – Acho até difícil classificar como suspense psicológico pois está mais para literatura infanto-juvenil. Achei que a tradução forçou tentando ser jovem (“lá vem textão”), os personagens mal desenvolvidos e a história muito fraca. Esse eu não recomendo.
  • Then She Was Gone, Lisa Jewell – Outro que não considero ruim, para mim o problema é que é exatamente igual a um episódio de Criminal Minds, então nada na história foi surpreendente.

Qual o seu livro de suspense psicológico favorito?

Ufa, essa lista foi grande. Mas agora eu quero saber, qual é o SEU livro de suspense psicológico favorito? Está aqui na lista? Não? Compartilha comigo nos comentários que eu vou fazer questão de ler! :)

Veja essa lista com os melhores suspenses psicológicos de todos os tempos, aqueles que vão te surpreender até a última página! #livros #listas #suspensepsicologico #suspense #leitura

Os links para a Amazon são afiliados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *