Nem todas as economias valem a pena. Descubra nesse post como NÃO economizar em viagens e não perca tempo (ou mesmo dinheiro!) na sua próxima aventura.

Descubra como NÃO economizar em viagens com essas dicas do que NÃO fazer e economias que não valem a pena!

Se você já leu qualquer outro post aqui no blog, sabe que eu muito fã de economizar. Não importa o destino ou o assunto que estamos falando, se eu sei qualquer maneira de economizar, eu vou compartilhar e incentivar todos os meus leitores a fazerem o mesmo.

Não só isso, mas antes mesmo de conhecer qualquer lugar novo, eu já estou na internet buscando se existem bairros que são bons para se hospedar porém mais baratos, como usar transporte público para não me preocupar com taxas de seguro de aluguel de carro, e por aí vai…

Porém, depois de alguns anos cheios de viagens, eu descobri que existem algumas economias que não valem a pena. Seja porque no final, o barato sai caro e você acaba pagando muito mais do que o planejado, ou porque, na verdade, você economiza dinheiro porém perde tempo e deixa de aproveitar como poderia, se apenas investisse um pouco mais.

Pensando nisso, resolvi escrever esse pequeno guia sobre como NÃO economizar em viagens, com dicas do que você NÃO DEVE FAZER quando for conhecer novos destinos.

Como não economizar em viagens – Dicas do que NÃO fazer

Apesar de ter tentado abordar situações universais nesse post, é possível que para o seu caso específico algumas dicas aqui não sejam relevantes. Cada caso é um caso, mas recomendo fazer as contas com cuidado para ter certeza que, no final, o barato não vai sair mais caro do que planejado. A única dica que eu garanto que serve para TODO mundo e que você jamais, jamais mesmo deve ignorar é a #1, que está no topo dessa lista justamente por ser a mais importante.

E claro, só para lembrar: esse post também está disponível em vídeo!

Não fazer um seguro viagem

Muitas pessoas acreditam que fazer um seguro viagem não é necessário, e que as chances de acontecer um acidente ou ficar doente fora do país são pequenas. A verdade, no entanto, é que se você tiver alguma emergencia médica ou até mesmo algum imprevisto de viagem, como seu voo ser cancelado, sem um seguro viagem você vai desembolsar uma boa grana para consertar a situação. 

Aqui no blog até já tem post explicando sobre seguro viagem, mas eu quero reiterar que esse serviço é essencial para viagens internacionais, tanto porque é obrigatório para alguns países, como aqueles que ficam dentro do Espaço Schengen na Europa, quanto porque em alguns lugares o preço de serviços médicos é absurdo. Aqui nesse post eu mostrei os valores dos Estados Unidos, um dos destinos mais caros nesse quesito, e onde você pode acabar pagando mais de dois mil DÓLARES para levar cinco pontos. E não tem desconto para turista não, viu?

Contratando um seguro, no caso de qualquer problema você pode acionar a seguradora através do aplicativo, e eles vão te informar como proceder. No caso de atendimento médico, a maioria das empresas te encaminha para alguma clínica ou hospital e já acerta a conta POR VOCÊ, e você só precisa se preocupar em ser atendido e melhorar. 

Resumindo, seguro viagem é um gasto SUPER NECESSÁRIO, e mesmo quando eu compro e não utilizo, sei que ele teria me ajudado a economizar horrores. Caso você ainda tenha dúvidas, aqui nessa página eu expliquei absolutamente tudo sobre o seguro, respondi todas as dúvidas dos leitores e ainda mostrei quais as melhores empresas para adquirir esse serviço.

Comprar passagens com várias conexões

Outra forma de como não economizar em viagens é comprando passagens aéreas com várias conexões. Com exceção daquelas passagens que são erro de tarifa e você consegue voar para um destino que normalmente custa R$4000 por R$1000, prefira voos diretos ou com no máximo uma conexão.

A verdade é que por uma economia de R$200 ou R$300 não compensa passar 40 horas em trânsito em vez de 12. O que vai acontecer é que você vai chegar no seu destino cansado, com jet-leg e já tendo perdido um ou até mesmo dois dias inteiros de viagem, que são super preciosos especialmente para quem tem poucos dias de férias. 

Se a diferença de tarifa for tão grande que você só tem como pagar o preço da passagem com mais conexões, ok, o importante é viajar. Porém, se puder investir um pouco mais para passar menos tempo em aeroportos e voando, mais do que compensa a “não economia” (entre aspas porque você economiza sim, porém tempo e não dinheiro).

Descubra como NÃO economizar em viagens na hora de comprar suas passagens aéreas nesse post!

Ficar em hotéis ruins porque eles são mais baratos

Existe uma grande diferença entre escolher uma hospedagem mais simples, porém limpa e confortável, e escolher um lugar RUIM só porque ele é mais barato.

Lugares com péssimas avaliações tem esse problema por um motivo, e podem acabar estragando a sua viagem. Vamos supor que o hotel seja muito barulhento e você não consiga dormir, como aproveitar os próximos dias? Ou, vamos supor, você percebe que o hotel não é muito seguro, e suas coisas acabam sendo roubadas? Em ambos os casos, você pode precisar sair do tal hotel e procurar outro, que com certeza será mais caro já que você precisará de uma nova hospedagem urgentemente. 

Teve uma viagem que eu fiz que eu fiquei em um hostel que as avaliações eram bem divididas, e eu preferi arriscar já que o preço era ótimo. No final, minha cama tinha bed bugs (percevejos) e por sorte eles não entraram no meu mochilão NOVO, porque eu podia ter perdido DIAS de viagem para resolver e até mesmo ter trazido uma infestação pra casa. Imagina o preço para me livrar disso depois? Tá aí um exemplo claro de como não economizar em viagens, hehe.

Caso seu orçamento esteja apertado, escolha hotéis simples porém com boas avaliações, para evitar problemas futuros.

Ficar em hotéis mais afastados porque eles são mais baratos

Essa dica depende muito do destino, porém quis inclui-la já que muitos viajantes podem não parar para pensar nesse aspecto na hora de planejar a viagem. Ao escolher um hotel mais afastado, lembre-se que não apenas você vai perder mais tempo para chegar aos principais pontos turísticos, mas também vai ter que investir em transporte público ou alguel de carro para conseguir se deslocar.

Por isso, faça as contas e veja se o que você vai gastar com transporte (e tempo) realmente compensa a diferença entre um hotel no qual você poderia fazer tudo a pé (se existe essa possibilidade). Caso a economia seja vantajosa, minha recomendação são hotéis que ficam até 30 minutos distantes dos principais pontos turísticos, e que sejam perto dos pontos de ônibus ou estações de metrô caso você vá usar transporte público. Se você precisar fazer um deslocamento de uma ou duas horas todos os dias, no entanto, compensa mais pegar um hotel mais próximo caso isso seja possível com seu orçamento. 

Como já mencionei, vale lembrar que essa é uma dica geral, mas existem destinos que tem um ótimo sistema de transporte público e passes ilimitados, como Nova York. No caso de NYC, ficar em bairros mais afastados como Brooklyn ou Queens não é problema e em poucas estações você já está em Manhattan e pronto para turistar. Orlando é outro destino que ficar em bairros mais afastados compensa, já que você provavelmente alugará carro de qualquer jeito, e as casas ou hotéis mais baratos não ficam tão longe assim.

Usar transporte público ao invés de alugar carro

Novamente, uma economia que costuma depender do destino e do tipo de viagem. Se você está fazendo uma viagem solo, por exemplo, e o seu destino tem um sistema de transporte público decente, é extremamente provável que compense mais utilizar ônibus e metrô ao invés de alugar um carro. 

Agora, se você está em um grupo, compensa fazer as contas para descobrir se transporte público é mesmo a melhor opção. Mesmo que ela seja mais barata (e eu percebi já que com exceção aos passes ilimitados, com grupos de quatro ou mais pessoas costuma NÃO ser mais barato), a perda de tempo ou até de liberdade que você pode ter no seu destino pode não ser ideal.

Vou dar um exemplo fácil: DISNEY. É muito fácil usar UBER na Disney (ônibus nem pensar), inclusive tem lugar para deixar e pegar passageiros em todos os parques. É bem tranquilo, e muitas vezes pode sair mais barato que alugar um carro. Porém, em 5 pessoas ou mais, já é preciso dois Ubers (quando com carro, você poderia alugar UM para 5 pessoas ou mais). Supondo 10 dólares para ir e mais 10 para voltar dos parques, já seriam 40 dólares por dia. Se o grupo quiser ir para algum lugar depois, como jantar ou compras, já seriam mais uns 20 dólares, o que já dá o preço da diária de um carro. Com o estacionamento nos parques ainda sai um pouco mais barato ir de Uber, mas é tão mais rápido e confortável ter o carro e poder ir em vários lugares e em qualquer horário, que a economia de 10 dólares por dia, por exemplo, não compensa na minha opinião. Você aproveita muito mais tendo um veículo próprio para o grupo e pode deixar para economizar de outras formas, como eu ensinei nesse post sobre como economizar na Disney.

Claro que se for uma diferença MUITO grande de preço não vale a pena, mas se forem apenas alguns dólares e alguém no grupo se sentir confortável com dirigir, eu diria que no geral dirigir costuma ser a melhor opção. Lembre só de incluir no seu orçamento o preço do aluguel do carro, gasolina e estacionamentos (do hotel e outros locais), como ensinei no post sobre orçamento.

E aí estão as 5 principais formas de como NÃO economizar em viagens! Acha que faltou alguma na lista? Me conta nos comentários!

Gostou desse post? Salve no Pinterest para ler depois!

Descubra como NÃO economizar em viagens nesse post! Dicas do que NÃO fazer e economias RUINS que vão fazer o barato sair caro! #viagens #dicasdeviagem #economizar #orçamento

Os links para a Seguros Promo, Booking e Rentcars são afiliados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *